aPostador Casual

sexta-feira, junho 12, 2009

O Professor

É jovem, não tem experiência.
É velho, está superado.

Não tem automóvel, é um pobre coitado.
Tem automóvel, chora de “barriga cheia".

Fala em voz alta, vive gritando.
Fala em tom normal, ninguém o escuta.

Não falta ao colégio, é um "caxias".
Precisa faltar, é um "turista".

Conversa com os outros professores, está "malhando" os alunos.
Não conversa, é um desligado.

Dá muita matéria, não tem dó do aluno.
Dá pouca matéria, não prepara os alunos.

Brinca com a turma, é metido a engraçado.
Não brinca com a turma, é um chato.

Chama a atenção, é um grosso.
Não chama a atenção, não sabe se impor.

A prova é longa, não dá tempo.
A prova é curta, tira as chances do aluno.

Escreve muito, não explica.
Explica muito, o caderno não tem nada.

Fala corretamente, ninguém entende.
Fala a "língua" do aluno, não tem vocabulário.

Exige, é rude.
Elogia, é debochado.

O aluno é reprovado, é perseguição.
O aluno é aprovado, deu "mole".


É, o professor está sempre errado,
mas, se conseguiu ler até aqui, agradeça a ele.

(fonte - Revista do Professor de Matemática, nº 36,1998.)


Este delicioso texto chegou-me há já algum tempo pela net, e agora que estamos a chegar ao fim do ano lectivo e no inicio da época de exames, achei oportuno colocá-lo aqui.
Escolhi para musica de fundo dois temas do grupo "Cabeças no ar":
"Os cheiros dos livros" e "Baile da Biblioteca"
(é pena o som estar em más condições, mas não encontrei melhor).

Etiquetas: ,

2 Comentários:

  • Este "professor" é um pouco o espelho de todos nós ...... se fazemos é porque fazemos, se não fazemos fica-nos a mágoa...... se ralhamos com os filhos, fomos duros, se não ralhamos somos psis desligados..... se... se, se não..... se....se não... a vida é uma big confusão... Gostei do texto e das músicas tb...bjs

    Por Blogger Aldina, Às sábado, junho 13, 2009 5:26:00 da tarde  

  • "Quando não se sabe dançar a culpa é do chão que está torto!"; Há a tendência de descartar a sua cota de responsabilidade para cima de quem o não é!

    Os educadores que estão de fora do "convento" acreditam mais nos "noviços", não porque não saibam onde mora a culpa, mas sim porque lhes é mais confortável imputar responsabilidades para cima do seus coadjuvantes, salvo excepções claro.

    Por Blogger LP, Às segunda-feira, junho 15, 2009 2:43:00 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial